profileimage

Viviane Durieu

Viviane Durieu veio pela primeira vez a Portugal em Dezembro de 1969, e ficou fascinada pela luz e pelo clima. Acabada de chegar da Bélgica, habituada a nove meses de céu encoberto e deparar-se com folhas nas árvores e céu azul, apaixonou-se pela cidade.

Fotógrafa de formação, abriu o restaurante “A Travessa” na altura na Travessa das Inglesinhas. Pouco sabia de cozinha e menos ainda do ramo da hotelaria. Muitas vezes ligava à mãe que lhe ía ditando as receitas pelo telefone. A falta de experiência não foi determinante e a verdade é que o que faziam, faziam-no muito bem, pelo que o restaurante tornou-se rapidamente num dos mais conhecidos restaurantes de Lisboa.

“foi um sucesso. Nós só nos fomos desenvolvendo e actualizando a partir do conceito original e passaram-se trinta e seis anos desde que abrimos. O tempo voa…” Viviane em entrevista à The Lisbon Conection.

António Moita
Em 1994 juntou-se um novo sócio, António Moita, formado em turismo pelo ISLA. Com espírito inovador e  profundo conhecedor do mar e da lota, ofereceu na altura telémoveis aos pescadores para que o avisassem da chegada do pescado.

O António acrescentou à cozinha os ingredientes e sabores da gastronomia portuguesa, bem como o peixe, comprados directamente aos pescadores.
Juntos abriram recentemente outro restaurante “A Travessa do Fado”